terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

O amor é labirintos de caminhos que se encontram...

Bem... eu sou uma das balzaquianas que escreve aqui de vez em quando. Sou filha mas também sou mãe. Explico: ainda me considero filha porque meu pai é vivo, e sou mãe pois tenho uma filha!

Tem uma música do cantor mineiro Flávio Venturini chamada LONGA ESPERA. No refrão da Música ele diz:

"Pois o amor é labirintos de caminhos que se encontram"

Eu gostei da música quando eu comprei o cd, mas depois de ler em algum lugar que essa música era dedicada à mãe dele (já falecida), eu sempre penso na minha mãe (também já falecida) quando ouça essa música.

A música é lindíssima (vou colocar a letra no final deste post)! Engraçado que é linda e também me faz chorar... Havia tanto tempo que eu não escutava esse cd e logo que comecei a ouvi-lo fui logo para a música "longa espera". Isso aconteceu ontem, mas somente hoje eu pude postar aqui. Era um belo fim de tarde, com um por do sol bem na minha frente!! Eu não pensei muito sobre a minha história com minha mãe, pensei no refrão acima. Com ela (minha mãe): tive amor, tive brigas, tive raiva, tive carinho, tive educação, tive alegria, tive sinceridade, tive saudades, tive ensinamentos... O que me resta hoje? Já fazem longos 15 anos que ela faleceu e por mais que o meu dia-a-dia seja corrido não é possível apagar uma pessoa querida das nossas lembranças.

Ao ouvir essa música eu fiquei pensando na minha relação com minha mãe, na minha relação com meu marido e minha filha. E o refrão acima que diz que o amor é labirinto de caminhos que se encontram me fez pensar no amor libertador. Explico... Quando a gente ama alguém (tem diversas formas é claro! ) tudo é diferente não é mesmo? Mas eu fico pensando nestes caminhos que se encontram e as pessoas que chegam por estes caminhos. Fico pensando nos anos que tive de convivência com minha mãe, nos anos de relacionamento com meu marido e nos anos de alegria com minha filha. Estas pessoas chegaram em minha vida com um propósito e algum dia seguiram/seguirão seus caminhos. O que eles deixaram/deixarão? Certamente a convivência com estas pessoas me fez ser quem eu sou hoje. Tem também o meu pai e meus irmãos é claro! Mas eu quero chegar no ponto chave deste post: os caminhos que se encontram/encontrarão serão acasos perfeitos para o fortalecimento de nossas vidas? Creio que sim!

A passagem destas pessoas por minha vida me faz crer que nada tenho o que cobrar, quer seja dos momentos felizes ou dos momentos tristes! Tenho é que aprender com a riqueza destas experiências!

********

Longa Espera - Flávio Venturini

Noite aqui
No calor do sol
O lugar mais distante dessa terra
Quem virá
Dar a luz á luz
Na canção que atravessa o mar de estrelas
E vem se aninhar
Onde a dor jamais penetra?
Onde estás, no silêncio das fogueiras?
Noite em mim
Longe de você
Onde o sol se perdeu da primavera
Quem virá
Florescer a flor
Um amor que atravessa a longa espera
E vem se revelarO que a dor jamais revela?
Vem me abraçar
Onde a dor jamais penetrará
Pois o amor é labirinto de caminhos
Que se encontram
O amor é labirinto de caminhos
Que se encontram
O amor é labirinto de caminhos
Que se encontram
O amor é labirinto de caminhos
Que se encontrarão
No silêncio das fogueiras?

4 comentários:

Paola disse...

Oi!
Nossa esse post tá lindo!
Me emocionei e acredito que existem sim várias formas de amor/amar.
Beijos

Muleka disse...

Nossa, como a Mãe faz falta né?? Acho que poderá passar 30 anos, sempre sentirei falta dela.
Belo post. Bjs *)

Anônimo disse...

Vivemos por uma esperança: a felicidade. A cada momento que passamos por novas experiências, ficamos mais próximos e capazes de alcançá-la.
Como seria nossas vidas se não existisse esperança ???
Já imaginou se não pudéssemos viver novas experiências?
Então, tenha sempre em mente: suas experiências de vida só virão ou vieram para te ajudar a ser feliz...
E felicidade não é ruim!!!!

Não é verdade?
...

Ivanka

Beth disse...

Me deu vontade de chorar.
Que lindo post!!!